terça-feira, junho 14, 2011

Cartão postal


Te imaginar na ausência
É querer colocar nome em vento,
brisa mansa e morna,
leve...
Repouso meus suspiros nas tuas mãos de ar.
Acaricia meu rosto
e brinca com meus cabelos.
Te trago pra dentro de mim...
E aqui vive como combustível e movimento.
Imagem de um campo vasto,
sua memória é um fim de tarde clara,
num rio que deságua na noite serena.